Punta Tombo


18º Dia - 28/10/2015 - Caleta Olivia a Punta Tombo 453km




Enfim conseguimos descansar, o Hotel Robert é bem confortável e silencioso!
Hoje saímos de Caleta Olívia em direção a Puerto Madryn, mas, não antes sem parar na Pinguinera em Punta Tombo, ponto alto da viagem!
Viagem super tranquila pela rua 03, que é toda asfaltada nesse trecho, e, em alguns pontos é bem movimentada! 
Saindo de Caleta Olivia, ou Comodoro Rivadavia você tem duas opções para chegar em Punta Tombo, pela Ruta 75, que são 453 km , com apenas 23 km de ripio, ou pela Ruta 32, que são 447km, mas nesse caso você tem 76 km de rípio. Nós fomos pela primeira opção, que eu indico, já que a segunda parece não valer a pena!
Chegando na pinguinera prepare-se para se encantar com esses seres não muito simpáticos, porém fofíssimos! Eu cheguei a ficar emocionada quando vi o primeiro me olhar! Como é incrível a sensação de conhecer um animal!
A entrada custou em torno de R$ 15,00 na época. A pinguinera conta com um centro para visitantes, com banheiros e restaurantes.
O parque onde se faz o passeio entre o pinguins fica um pouco distante do centro de visitantes, e tem 3km de trilhas para percorrer! Em alguns trechos os pinguins passam pelas cercas e caminham com você em outros há passarelas elevadas! Mas incrível mesmo é quando eles vem bem pertinho!
  
  
A temporada dos pinguins é no verão, de setembro a abril, quando eles chegam a ser 400.000!
Nós fomos em outubro, época que eles chocam seus ovos, e por isso ficam mais tempo escondidos em seus ninhos! Mas não por isso menos emocionante! Dizem que em fevereiro, quando os filhotes começam a nadar, é uma festa!


Ficamos umas duas horas percorrendo as trilhas, tirando muitas fotos e fazendo vários vídeos! Dá para ficar bem perto dos animais e perceber a rotina deles, foi incrível!







Qualquer semelhança é mera coincidência!




 Punta Tombo a Puerto Madryn, passando por Gaiman 225km






Já passava das 17h quando saímos de Punta Tombo. A ideia era ir até Puerto Madryn, mas, quando passamos pelo revo que dá acesso a Gaiman não resistimos e estendemos a viagem! Já tinha lido relatos que viajantes que passaram por lá, alguns até pernoitam, só para conhecer as famosas Casas de Chá Gales e provar a deliciosa torta negra galesa!
Pensei: Vamos lá provar essa torta também! Meu marido já fez a curva, e lá fomos nós!
A cidade é toda ajeitada, creio que no estilo galês, muito bonita! Logo que chegamos percebi indicações de várias casas de chá, porém uma delas nos pareceu mais marcante e seguimos a orientações, que há em todas as ruas! Quando chegamos percebemos que se tratava de uma "Casa de Te" muito famosa, inclusive a Lady Diana esteve por lá em algum momento!
Cogitamos tomar um chá (de fim de tarde) por lá, era estilo buffet, porém, estava encerrando as atividades e não pudemos entrar! Com isso acabamos escolhendo um local qualquer, dentro os vários que anunciavam "Torta Galesa", para prova-lá! Na avenida principal da cidade há varias opções!



O torta galesa, que na verdade é um bolo, com sabor forte de gengibre ou canela e frutas cristalizadas, é bem saborosa e caiu muito bem com um chá.
Já estava anoitecendo e fomos procurar lugar para dormir, a cidade estava lotada, havia um evento naqueles dias. Após algumas tentativas achamos melhor seguir viagem até Puerto Madryn, o plano original!
Fomos recebidos por uma lua cheia de encher os olhos, espetacular!



Da minha lista de hotéis, fomos no mais indicado, o Hostel El Gualicho. Havia lugar, acertamos tudo, deixamos nossas coisas no quarto e saímos para jantar e conhecer a cidade! O hostel é bem pertinho do centro, da avenida à beira do  mar.
Das indicações do hotel, escolhemos o Chona Resto Bar, ótima comida, bom preço e excelente atendimento! Comemos um assado de massa folhada com recheio de cordeiro desossado! Divino!


Postagens mais visitadas deste blog

Porto Alegre – Mendoza – Santiago – Deserto do Atacama – DE CARRO!

Patagônia de carro!

Torres del Paine