Porto Alegre – Mendoza – Santiago – Deserto do Atacama – DE CARRO!

Reserva  Los Flamencos - Setor Miscanti e Miñiques


A primeira viagem que irei relatar será a Incursão que fizemos pelo Chile e Argentina, em outubro de 2014. Na verdade foi a satisfação desta viagem que me motivou a criar o blog, pois imagino que relatar essa viagem maravilhosa vai ser demais! 

Planejamento


Deserto do Atacama sempre foi um sonho, porém o via muito distante, mas desde que uma colega de trabalho foi e gostou muito, me encorajei e comecei a planejar a nossa viagem! Foram dois meses de preparativos intensos! Documentação, hotéis, roteiros, passeios... enfim vários passos que uma viagem organizada requer!

Fomos somente eu e meu marido, que eu imagino como ideal, afinal foram 19 dias de muita estrada, muitos hotéis, muitos passeios e muitas decisões para tomar e creio que toda vez que precisar consultar mais gente para decidir cada item da viagem (comida, hotel, percurso, paradas para fotos...), vai pesando!

O carro usado foi nossa IDEA ADVENTURE, que se saiu muito bem no asfalto e na areia do deserto! Em nenhum momento sentimos falta de 4x4. Haviam brasileiros andando de carro sedan pelo deserto, então creio que não há nenhum problema quanto ao tipo do veículo. As estradas na Argentina e no Chile são excelentes, principalmente no Chile, que são verdadeiros tapetes! O único trecho ruim de estrada que enfrentamos foi 200 km na Ruta 16 entre Salta- Ar e Corrientes-Ar que está praticamente intransitável! Se puder evitar melhor!

O roteiro foi cuidadosamente planejado, com datas e distancias entre as cidades onde passaríamos a noite. Reservei todos os hotéis antecipadamente pela internet, através do http://www.hoteis.com e www.booking.com, com isso acabei ganhando duas diárias grátis, o que ajudou bastante! Hehehe A decisão de reservar os hotéis antecipados foi acertada, afinal sempre chegávamos cansados no fim do dia e loucos por repouso, imagina ter que procurar hotel na cidade, sem saber qual rumo tomar na mesma!? Assim já escolhia um hotel com boa reputação na internet e que coubesse no nosso orçamento, quando chegávamos era necessário coordenar o GPS e pronto! Banho e passeio rápido pela cidade com direito a um jantar, já que o almoço ficava na maior parte das vezes prejudicado, nos esforçamos para tentar fazer as refeições corretas, pois depois de alguns dias comendo salgadinho/empanada/bolacha o estômago reclama!
Laguna Miscanti

O que levar 


Primeiro passo é a documentação e acessórios do veículo! Passei e-mail para os consulados (em Porto Alegre) e comecei a providenciar. Cópia do e-mail dos consulados: 
Lista de Acessórios solicitados para os veículos em trânsito pela República Argentina

DOIS TRIÂNGULOS

UM EXTINTOR DE INCÊNDIO

CAIXA DE PRIMEIROS SOCORROS

CINTOS DE SEGURANÇA (PARA TODOS OS PASSAGEIROS)

APOIADOR DE CABEÇA NOS BANCOS (DIANTEIROS)

SEGURO CARTA VERDE (PARA PAISES DO MERCOSUL)

CABO PARA REBOQUE DE 1,5 A 2 METROS OU CAMBÃO

AUTORIZAÇÃO PARA CONDUZIR NA REPÚBLICA ARGENTINA NO CASO DE NÃO SER O PROPRIETÁRIO DO CARRO

DOCUMENTOS ORIGINAIS DE PROPRIEDADE DO CARRO

LIGAR FAROIS LUZ BAIXA DE DIA

NÃO EXISTE NENHUMA LEGISLAÇÃO ARGENTINA OU REQUISITO DE UM LENÇOL BRANCO OU “MORTALHA PLÁSTICA”

SOLICITA-SE QUE OS VEÍCULOS QUE POSSUEM ENTRADA PARA REBOQUE (BOLOTA DE AÇO) E NÃO FOREM LEVAR MOTOR-HOME OU REBOQUE QUE RETIREM A MESMA PARA EVITAR PROBLEMAS COM A POLÍCIA

QUALQUER PREJUÍZO QUE VENHAM SOFRER OS VIAJANTES BRASILEIROS, DEVERÁ SER COMUNICADO AO CONSULADO DO BRASIL NA ARGENTINA.

Para ingressar de carro no Chile:
Os veículos motorizados, seus reboques, acoplados ou similares arrastados por ele, que tenham placa estrangeira que ingressem provisória ou temporariamente ao país e durante todo o período de tempo que circulem nele, deverão contratar um seguro obrigatório de acidentes pessoais.
Seguro SOAPEX: Seguro Obrigatório de Acidentes Pessoais para Veículos Estrangeiros. Via on line –
www.consorcio.cl / www.magallanes.cl
Documentos para o carro: são os mesmos exigidos no Brasil, porém um triângulo a mais.
O carro deve estar no nome de quem vai dirigir, caso contrário precisa de autorização legalizada pelo Consulado do Chile.
Legalização de autorização:
Reconhecer em cartório a assinatura de quem autoriza.
Legalizar no Escritório de Relações Exteriores do Brasil em Porto Alegre, telefone: 32286326.
Legalizar no Consulado do Chile: de segunda-feira a sexta-feira entre 9 e 12 horas, fica pronto de um dia para o outro, consultar o valor do mês.

Dois itens são muito discutidos, se o veículo pode ou não ser financiado e a Permissão Internacional para Dirigir - PID???!!!

  • Para não ter de providenciar autorização o carro precisa estar no nome de algum dos viajantes, não importa se tem CDC (Crédito Direto ao Consumidor), a simples alienação fiduciária!!! Não pode ter é leasing, que é quando o veículo não fica em nome do proprietário!!! Desde que o veículo esteja no seu nome, ou de algum dos integrantes da trip nada mais será necessário além do CRV. Caso o veículo possua leasing você precisa solicitar autorização da financeira e entrar em contato com o consulado dos países;

  • A Permissão Internacional - PID para o Chile é fato bem discutido na internet, por vias das dúvidas, e como no Rio Grande do Sul ela tem custo acessível (R$45,60) nós fizemos e levamos. Fomos parados em uma blitz em San Pedro de Atacama, de madrugada, onde solicitaram apenas a carteira de motorista, não perguntamos se era necessário a Internacional e entregamos as duas, fomos liberados rapidamente, o que nos leva a crer que se a Internacional não é obrigatória no minímo ela ajuda e muito!!! A impressão é que a PID dá um status de motorista internacional, e as autoridades ficam mais tranquilas! Então se puder fazer a PID, isso poderá evitar aborrecimentos com os carabineiros no Chile.

Desde o final de 2013 é necessário fazer um Seguro Obrigatório de Acidentes Pessoais para Veículos Estrangeiros – SOAPEX, para ingressar no Chile, uma vez que a Carta Verde tem validade apenas nos países do Mercosul, e o Chile não faz parte. O seguro pode ser feito e pago pela internet, através do link no e-mail do consulado do Chile, copiado acima, ela tem um custo bem acessível, U$$ 11 para 30 dias de permanência.

O cambão é item obrigatório na Argentina, e mesmo que no e-mail do Consulado fale em cabo de aço, para evitar aborrecimentos, melhor levar um cambão, pois parece que eles não estão aceitando o cabo de aço! No mercado livre tem cambão com preço bom e parcelado! Eu comprei o nosso lá e não tivemos problemas!

Além dos acessórios obrigatórios levamos um GPS, que ajudou muito, principalmente em Santiago e Mendoza, tínhamos dois guias, um de cada país e vários mapas. Como andamos por poucas rutas, várias delas cruzam os países, não tivemos muitos problemas!

Eu, como viajante precavida, levei muita água potável, alimentos (salgadinhos, bolachas, chocolates), cobertor, travesseiros (vai que o carro estrague), toalha (passeios de água no deserto), muitos medicamentos, tinha medo do “Soroche”, o mal da altura (vou falar dele mais adiante), ferramentas básicas, protetor solar e roupas de frio (deserto) e calor (Argentina). Além disso, levamos chimarrão (mate), que foi excelente para passar o tempo e acabar com o sono que aparecia no meio do dia!!!

Catedrais de Tara
Problemas com a Polícia Argentina e Chilena

Nenhum!!!

Graças ao meu esforço de providenciar todos os acessórios obrigatórios e documentos, e ao “bom trabalho” dos camineiros, não tivemos nenhum problema. Logo que entramos na Argentina, quando eu falo logo, é uns 10 km, na Ruta 14 em direção a Concepcion del Uruguay já fomos parados, solicitaram tudoooo, documento do carro, CNH, dois triângulos, cambão, kit de primeiros socorros, carta verde!!! Não escapou nenhum item dos solicitados no e-mail do Consulado! Como tínhamos tudo e estava tudo ok fomos liberamos sem maiores demoras!!!

Quando entramos na Argentina não fizemos nenhum documento de entrada do veículo, apenas nossos passaportes, depois na fronteira com o Chile, Paso Libertador, fomos questionados (pela própria Aduana Argentina) como tínhamos ingressado com veículo sem “documento de ingresso”, falamos que não tinham feito nem falado nada, fizeram uma cara feia (parecia ser pelo mau trabalho dos colegas) e providenciaram o documento, o mesmo também foi usado para o ingresso do veículo no Chile. Mas, todavia, contudo, porém, quando entramos novamente na Argentina, pelo Paso de Jama a Aduana informou que não é necessário fazer este documento, pois pela Lei do Mercosul os veículos tem livre acesso nos países do bloco! Bom agora vai saber...... vou me informar melhor sobre o assunto! Na legislação do Mercosul, é claro!

No Chile fomos parados apenas em San Pedro de Atacama, conforme já relatei acima solicitaram apenas a CNH. Nada a mais!

Já quando retornamos a Argentina, no Paso de Jama, e ingressamos na Província de Chaco, famosa pela propina de baixo custo, fomos parados mais umas 02 vezes! Na primeira o camineiro ficou conversando, pedindo se íamos ao Brasil e tal.... ficou olhando para dentro do carro, pensando, sem saber o que falar e nos liberou!!! Fato curioso: Tínhamos uma camiseta velha (rasgada) pendurada na janela para barrar o sol..... será q ela imaginou que se pedisse algo daríamos a camiseta???!!! Acho que ele ficou pensando e resolveu não pedir nada!!! kkkkkk Na segunda vez na Província de Chaco o camineiro fez sinal para parar, quando paramos ele viu a placa e nos mandou seguir em frente!!! kkkkk essa foi a melhor de todas!!!

Em vários postos policiais passamos colados nos caminhões, tinha lido na internet e creio que ajudou um pouco, mas na maior parte dos postos os camineiros estavam mais interessados no whatsapp/facebook do que na estrada!!! Viva a internet 3G!!!

Devo ressaltar aqui que não tivemos nenhum problema na Argentina, nem no Chile, e além disso fomos tratados com muito respeito por todos! Já tinha lido alguns relatos e vou engrossar a massa, acho que propina na Argentina é coisa do passado!


Paso Libertador - Argentina - Chile




 

 


Postagens mais visitadas deste blog

Paso Huemules

Patagônia de carro!